quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Para não dizer que não falei das flores


Você entrou no meu mundo. Como em Alice no País das Maravilhas, aqui eu fico gigante, pequena, me perco, me encontro, cruzo os caminhos que eu quiser. Não tem gato falante nem chapeleiro maluco, mas tem tudo que eu crio e dou asas. Por muitas vezes, falo de amor aqui. Conto histórias de começo, fim, dos meios. Histórias que não pertencem a mim, mas sim coisas que ouço, que vejo, que contam por aí, então eu crio,  imagino e conto para quem quiser ouvi-las.

Quem dera tivesse vivido tudo isso. Tampouco vivi metade, então por isso gosto tanto de dizer e dizer, de imaginar. Aqui posso ser muitas, de muitas maneiras, posso ser ele, ela, posso ter muitas vidas. E o mais importante: posso falar o que eu quiser sobre o que quiser, do jeito que bem entender. Fico feliz  toda vez que alguém me diz o quanto gostou. Fico muito contente toda vez que alguém fala: Nossa, parece que você fez aquele texto pra mim, sei bem como  é. Por essas que eu continuo aqui, desde 2007. Mesmo com vontade de berrar de vez em quando  “Cortem as cabeças” eu prefiro é continuar contando minhas aventuras e histórias por aí.  


"O escritor é uma das criaturas mais neuróticas que existem: ele não sabe viver ao vivo, ele vive através de reflexos, espelhos, imagens, palavras. O não-real, o não palpável. Você me dizia "que diferença entre você e um livro seu". Eu não sou o que escrevo ou sim, mas de muitos jeitos. Alguns estranhos." Caio Fernando Abreu.

3 comentários:

Yasmine Lemos disse...

Crispi seja bem vinda no meu blog.Obrigada pela visita
seu espaço é lindo.
beijo

Evelyn Dias disse...

Oi mocinha! Obrigada por sua visita.
É isso aí.. continue escrevendo suas histórias, seguirei-te e estarei aqui sempre que puder. Bjo.

Leontyna Santos disse...

Nossa, como eu gostei das tuas palavras! Gostei muito do teu cantinho!
Seguindo (;
Beijos*: