segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Receita.

weheartit.com



Então, é o amor  que nos leva a repetir, suportar, engolir, agüentar? É por causa do amor que ainda fica que muitas vezes fechamos os olhos, fingimos que não vemos, calamos, choramos escondida para fingir depois que ta tudo bem? É por culpa do amor que pensamos o tempo todo em ir embora, bem longe, recomeçar, conhecer outras pessoas, esquecer, mas permanecemos no mesmo lugar?

Difícil dizer. Há que diga que amor é suficiente. Mas eu preferido dizer que amor é o ingrediente principal: sem ele a coisa desanda, fica sem gosto, sem graça, fica pequena, acaba. Mas amor sozinho não segura a onda não, é preciso que venha acompanhado de cumplicidade, carinho, confiança – muita confiança, e respeito. Duro é quando cada coisinha dessas vai acabando, sumindo, ficando pelo caminho e quando vemos sobrou apenas amor. E não sabemos o que fazer com ele.

Só amor não rende. Só amor não agüenta. Parece inacreditável não é? Eu também não acreditava. Filmes da sessão da tarde me faziam acreditar que amor resiste a tudo, que se você tem amor você pode tudo, tudo da certo. Mas não é assim. É triste dizer, mas ás vezes temos  muito amor, muito mesmo, mas as outras coisas estão tão machucadas que amor – que serve para dar todo o suporte e gosto doce para essa receita – deixa tudo mais difícil, amargo até.

Então, vem a parte difícil. Ou ficamos ali, tentando fragmentar o amor em mil pedaços e fazer tudo para que a receita se faça somente dele ( o que geralmente da errado), ou buscamos resgatar aos pouquinhos os elementos. Ou ainda, colocamos esse amor num vidrinho, fechamos e deixamos ele ali, a espera de ingredientes novos, para quem sabe assim começar uma nova receita.




ps. se você é lindo, curta a página do coffeeismyboyfriend  :)

6 comentários:

Camila Sanches e Amanda Sanches disse...

E como concordo com vc, amor sozinho não aguenta, é presciso tantos outros ingredientes/sentimentos para que o amor dê certo!

Beijos:*

Manuella Monte Santo disse...

O problema é que a realidade não é o que vemos em hollywood. Até quermos aquela história perfeita ou a linda familia do comercial de margarina, mas ao nos depararmos com a verdade aprendemos realmente a viver.

beijos.

mfc disse...

É preciso cuidar bem dele, já que é um elemento muit frágil!
Precisa de mil e um cuidados, de imensos mimos e sorrisos sem conta!
O amor precisa de ... precisar!

Luiza Fernandes disse...

É tudo um mar de rosas no filmes, novelas, pena que nem tudo é assim na vida real, amor é doce e ótimo, mas as vezes pode doer bastante. Me identifiquei muito com a primeira estrofe Cris, é difícil chorar e depois fingir que está tudo bem e depois imaginar como seria melhor ir embora, respirar novos ares e conhecer gente nova!
Beijos, ótimo começo de semana!

Leontyna Santos disse...

Sozinho, o amor apenas machuca, fere e muito.
É triste, mas é verdade.

Muito lindo mesmo!
Beijos*:

Luna Sanchez disse...

Não só os filmes da Sessão da Tarde como os grandes clássicos do cinema e da Literatura e várias das principais personalidades de todos os tempos pregam / pregavam isso.

E agora, como proceder?

oO

Beijocas, Dona Moça.

* Sou linda então, claro, curti a página.