quarta-feira, 16 de novembro de 2011

É preciso amar.

weheartit.com



Adoro falar de amor. Falar sobre amor, desamor, sobre suas feridas incuráveis e felicidades eternas enquanto duram. Mas falar de amor tem se tornado algo tão antigo. Parece que as pessoas tem vergonha de falar de amor. Mais que isso até – parece que tem vergonha de sentir amor, de cuidar do amor, de deixar o amor fazer seu papel. Amor tem se tornado algo clichê, brega, ultrapassado. Eu te amo é dito como bom dia, apego tem feito o papel do amor, as pessoas usam uma as outras, machucam, pisam. A troco de que tudo isso? Para dizer que são modernos, que podem ser felizes sozinhos, que não precisam amar?

Eu preciso de amor. Você também, e sabe disso. Qual a vergonha de admitir isso? Veja bem: não estou dizendo que sem amor eu não vivo. Que preciso estar em um relacionamento para me sentir feliz – longe de mim! Apenas preciso de amor, seja ele em qual forma vier. Amor pelos meus amigos, pelos meus familiares, amor por mim (esse deve ser um dos maiores amores, aliás). E não tenho vergonha de admitir que sou feliz porque amo. E que amo de verdade.

Respiro amor, mas não jogo ele no vento. Amo o amor livre, e não o apego. Amo sentir o amor, sem precisa dizer. Amor incondicional, aquele que a gente não espera nada em troca. Aliás, não se deve exigir amor de ninguém, amor acontece. Sou brega por falar de amor em pleno século XXI? Tudo bem, não me importo. Prefiro ser brega e falar o que eu sinto. Bom seria se as pessoas resolvessem ser mais bregas também, e não querer provar algo a si mesma o tempo todo. Apenas deixem as coisas acontecer um pouco, tirem essas máscaras e vivam de vez em quando. Vamos sentir, não há coisa melhor.



5 comentários:

Manuella Monte Santo disse...

O amor é um sentimento interessante, cada qual o vive a sua maneira mudando a intensidade e forma.

Beijos

Will disse...

Oi Cris,

embarco nessa, vamos sentir! Rsrs

Adorei!

Um abraço!

Luna Sanchez disse...

Concordo, amor-próprio é essencial. Quem não sabe se amar não consegue dar e receber amor, compartilhar com os outros.

Gostei muito do texto, ideias claras e bem colocadas.

Beijos, flor.

Luiza Fernandes disse...

As pessoas estão mesmo fando eu te amo como quem fala bom dia, parecem ter vergonha de dizer que amam, todo mundo ama não é coisa brega não, o problema que o amor está sendo tratado como qualquer coisa, mal se conhece uma pessoa e já estão dizendo que amam. Amor próprio é sempre essencial!
Beijos!

mfc disse...

Hoje quase não há tempo para sentir...
Hoje querem-nos tirar o prazer dos sentimentos!
Querem-nos autómatos e nada mais.