sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Uma metáfora de sapatos.




Quando viu aquele sapato, foi amor a primeira vista. Era tudo que ela queria e mais um pouco. Bonito demais, parecia inacessível.
Passava todos os dias em frente a vitrine, para admirar o sapato. Este, admirada por muitas, logo seria levado embora, pensava ela.
Mas um dia ela conseguiu o sapato.Não acreditou.
E ele se encaixou perfeitamente nela. Lindo, confortável. A fazia se sentir segura, protegia ela das pedras do caminho. Todas invejavam seu sapato, queriam um igual. Tentaram – e como – roubar seu sapato, mas este permanecia fiel ao encalço da garota.
Mas ele foi ficando velho, gasto. Foi apertando o pé da menina.
Fazendo calos.
Mas ainda assim, a menina não queria se desfazer dele, estavam juntos a tanto tempo, veja só. Não poderia simplesmente comprar um sapato novo (que ultraje! Ele era insubstituível).
E assim ela seguia, andando miudinho para o sapato não reclamar.
E ela fazia de tudo pra ele permanecer intacto.
Mas um dia, um dia de descuido talvez – ela tentava não se culpar - viu o sapato, o seu sapato! em outro pé. E ele estava radiante, parecia novo, e a nova dona mais feliz, mais bela. Então ela olhou para seus pés descalços, com bolhas, machucado. Quis chorar, mas mexeu seus dedos em liberdade, e pode sentir que andar descalça também era bom.
Mas ela não gostava, precisava de um sapato novo. Mas algum sapato aberto, que lhe desse liberdade. Algum sapato menos sofisticado, mais novo, descontraído.
Então, enquanto se decidia, resolver comprar chinelos. E seguia feliz, livre – mais nem tão livre- por aí.


Obs. Visto chinelos no momento. Mas também gosto de sentir meus pés no chão.

9 comentários:

C. Lisdália disse...

Eu visto um sapatos daqueles no momento, mas amo andar descalça e de chinelos!

Na verdade eu amo qualquer coisa que sirva no pé e que me agrade... hehehe (prontofalei,souviciadaemsapatos!

=***

Gabi Petrucci disse...

Como diria Cássia Eller: "Quem sabe o príncipe virou um chato, que vive dando no meu saco...".
Acho que chega um momento que o sapato começa a apertar para todas, e esses sapatos se acham no direito de fazer isso! :T
Por isso, também estou com chinelo!

Beijo, Crispi!

Carolinne disse...

Que lindo textp Crispi! tem selinho lá no blog pra vc! ^^

Ana Catarina disse...

Nuum é, a vida so tem graça quando é agitada!

Beijos!

- gabs, disse...

NOS-SA GA-RO-TA!
A-DO-REI! *-* OMG.
Esse texto trás consigo uam metáfora entre as entrelinhas muito interessante. Me levou a refletir sobre amores: às vezes nos limitamos, nos machucando, fazendo calos, para agradar ao outro alguém, mas no fundo, nunca suspeitamos que sermos livres, sem fronteiras, somos mais felizes, mais aliviados. Acho que quando começa a machucar, ou até mesmo a roupa, não lhe cabe mais, é o fim, adeus, a dê para quem a serve. É assim o amor. Ficamos felizes enquanto um e outro se fazem felizes, mas quando começa a criar calos, desgastar, melhor nem insistir.

E descalça, feliz, caminho por ai.
Um grande beijo. adorei!

Erica Vittorazzi disse...

Adorei. Lindo texto!!!! Eu ando com os pés nos chão, mas louca para achar um chinelo... :)

Carol_chan disse...

Amei!!!
Uma metáfora muito boa, tudo fica muito bem entendido nas entrelinhas.Como sempre seus textos me encantam! Como vc consegue?
Atualmente ando bem, descalça e feliz! Mas bem que eu queria um achar um belo chinelinho...
^^

Bruno disse...

Coisa difícil de entender é essa paixão das mulheres pelos sapatos...

Denise Caixeta disse...

Nossa, amei o texto. Você traduziu em palavras oq muitas garotas passam com seus amores e usando nossos queridinhos sapatos. Bjos pra ti, amo seus textos.