sábado, 13 de fevereiro de 2010

Secreto.


imagem:http://weheartit.com


Estava quieta em meu canto, fazendo coisas normais. Por vez ou outra ouvia uma música linda ou lia algum romance, e desejava que fossem meus, meus sentimentos, mas logo meu coração se aquietava e tudo voltava a ser comum. E não era como se eu não gostasse, porque naquele momento eu sabia que tinha que ser assim. Naquele momento eu tinha que estar em paz comigo mesma (e fora por isso que escolhi usar calcinha branca no ano-novo, apesar de não acreditar muito nessas coisas). Precisava me organizar primeiro, para depois ter tempo para aqueles sentimentos que servem exatamente para nos desorganizar.

Não, eu não queria me apaixonar, mas não pude fazer nada, já que você simplesmente existe.

E essa sua existência – ainda que distante da minha- torna tudo mais difícil.
Torna mais difícil eu fingir que não estou apaixonada por você, torna mais difícil fingir que todas as musicas e todos os filmes e livros e momentos foram feitos para mim, para nós.
Torna quase impossível essa agonia de te esperar. O mês não passa, se arrasta, e eu vou fingindo que está tudo certo, que eu estou normal, e que somos apenas amigos – quando sei que como, e como e como eu gostaria de berrar que somos mais que isso- e vou seguindo rindo das suas piadas, olhando as suas fotos e lembrando com você no telefone do curto momento que nos vimos.

E assim vou seguindo contando secretamente os dias pra te ver de novo. Vou sentindo frio na barriga cada vez que vejo um recado seu, por mais bobo que seja, e fico secretamente magoada quando vou correndo ver se recebi algum recado, e não encontro nada lá.

Nessa hora, quando penso que você me esqueceu, que você está contando as nossas piadas para outra pessoa, e que eu sou somente mais uma lembrança apagada ou um contato qualquer, você me surpreende. Me manda uma mensagem fofa ou e-mail contando as coisas banais do seu dia-a-dia, me fazendo sentir de alguma forma parte dele. Me lembrando que nossa amizade (e no meu desejo mais louco, nosso amor) é mais forte do que qualquer distância, ausência, omissão.

E então você torna a desaparecer por dias.

E no fundo eu não me importo, se for pra você voltar e dizer que pensou em mim quando viu tal coisa, ouviu tal musica, ou que simplesmente sentiu minha falta.
Agora eu estou aqui, longe, vivendo com meus desejos secretos (que quem sabe um dia eu te contarei? Mas prefiro preservar esse mistério, e essa agonia. Ok, na verdade tenho medo de ter perder de vez), e não sei o que você está vivendo.

Mas não faz mal, ainda que você não saiba, estou aqui contando os dias, em uma esperança secreta de um dia não precisar contar mais nada.

6 comentários:

Tia Augusta disse...

para mim, seu texto foi uma ótima teoria de que todos precisam de seu prórprio canto. pra que esperar que algo nos complete se podemos nos completar?

Gabi Petrucci disse...

É uma espera angustiante, mas deliciosa. Uma sensação boba e incrível que gera sorrisos bestas a cada "sinal".

Me lembrou a música "Pensando em você" da banda Pimentas.

Beijo

Milena' disse...

Sabe, por experiência própria eu te digo que esse tipo de segredo só atrapalha. É um tipo de covardia, que, infelizmente, eu possuo.
:*

naty c.m disse...

Sinceramente, acho que o segredo, apesar de algumas vezes ser benéfico, é como um obstáculo em nossas vidas. Ele nos deixa ligados a uma outra pessoa, dependentes dela, de forma que com o tempo constuímos uma barreira tão grande, que nem nós mesmos conseguimos transpor.
Think about it :D

Adorei o texto.. mesmo, mesmo!

railer disse...

a gente precisa de um tempo mesmo. e esses desejos secretos fazem parte.

Julia disse...

Parece mais fácil adiar as coisas só para desfrutar um segundo a mais; mesmo quando dizem que é pura enganação - que estamos enganando nosso próprio âmago. Mas só de pensar em mudar de posição, em mudar um detalhe, mesmo que seja para melhor - sem saber se realmente irá acontecer - dá preguiça.Só que arriscar faz bem - quando tudo dá certo no final, claro. Gostei bastante do texto.