sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Um tanto quanto clichê.

imagem: http://weheartit.com


Pode ser que seja confusão, apego. Pode ser que seja amor ou medo do futuro.
O difícil é ter certeza sem viver. É que viver ás vezes da medo, viver machuca, então ficamos vivendo uma vida limitada, incompleta, fazendo as coisas com medo de desagradar alguém, com medo de ser rotulada por alguém, com medo de não conseguir, de seguir em frente.
Chega uma hora que devemos escolher pra qual lado do caminho seguir, e da vontade de simplesmente sentar e esperar que tomem a decisão pela gente. É porque é triste pensar nas coisas e pessoas que deixamos pra trás, pensar no que teríamos feito se nossa decisão fosse outra, etc. etc. etc.

Mas vou te contar um segredo: Triste, é deixar as coisas passarem por medo. Triste é não se permitir ser feliz por temer o que os outros vão pensar. Não seja cruel com você, não se limite, apenas viva – não fazendo nada imoral, claro - e se permita ser feliz, escolha seu caminho.
Morra de amores. Se apaixone sem medo diversas vezes, não se prenda ao ciúmes, afinal ninguém é obrigado a estar com ninguém, se a pessoa está com você, é porque ela quer, pense nisso.
Faça coisas sem sentido, tome banho de chuva, cante bem alto sem saber a letra, conte piadas sem-graça e de risadas até a barriga doer. Tenha momentos de fossa, coloque aquele CD do Roberto Carlos que eu sei que você tem escondido em algum lugar e ouça comendo brigadeiro. Detalhes é a minha música favorita pra esse momento. Fique o dia inteiro de pijamas e com o cabelo bagunçado, mas se permita um dia ir no salão e ter seu dia de diva.
Reclame, reclame a beça, mas não faça disso um hábito.

Passe mais tempo com quem você gosta, viva os momentos simples e clichês. Tudo que eu disse até agora, aliás, alguém já te disse, é piegas e você pensou em desistir de ler, mas chegou até aqui e sabe que lá no fundo está morrendo de vontade de fazer tudo isso.

Eu já morri de amores hoje, senti o cheiro da chuva, e tomei meu café devagarzinho só pra poder lembrar de um certo momento com um certo alguém. Olhei pro céu e pensei: sou feliz, e vim aqui escrever isso pra poder contar pra todo mundo.
Aliás, com licença. Vou até ali ver meu filme favorito e dar umas boas risadas em uma tarde quente. Espero que você faça o mesmo.

10 comentários:

C. Lisdália disse...

Deixar o "E se..." tomar conta da nossa vida é morrer aos poucos e triste...

Viver, viver e viver. Isso que temos que fazer sempre!

=D

Gostei do texto, bom ler essas coisas pra dar uma sacudida!

;)

C. Lisdália disse...

Flor!!
Te dei um selo! ;)

http://peripeciasdakaa.blogspot.com/2010/02/selo-masterblog.html

=*****

Milena' disse...

Realmente, nesses momentos 'decisão' a vontade que dá e sentar e chorar, mas seria burrice se fizéssemos isso. O mundo tá aí, cheio de coisas pra oferecer. Inclusive o CD do Roberto Carlos. haushaushaushu
:*

Jéssica V. Amâncio disse...

por que será que esses clichês perduram? talvez porque é o que nós mais queremos fazer.
adoreii.

Carolinne disse...

Deixar de lado as coisas sem importancia continuar a viver e aproveitar o máximo, afinal, o tempo passa, o tempo corre, a vida é curta! Belo texto! ^^

Paula disse...

"Não seja cruel com você, não se limite, apenas viva – não fazendo nada imoral, claro - e se permita ser feliz, escolha seu caminho."

Epicuro de Samos é filósofo do período helenístico e sua filosofia é essa!

;D

Keel Diniz disse...

Fazer tudo como se fosse a última vez ^^

selo p/ vc no meu blog

:*

Erica Vittorazzi disse...

Seria tão mais fácil se fôssemos personagens de livros bons... mas não, temos as nossas responsabilidades de sermos quem nós somos e sermos felizes!!

Ana Júlia disse...

Oii, adoorei seu post, seu blog.

Sabem, vc meio que tirou as palavras da minha boca !

Vamos ser felizes !!

:D

Até mais :*

Layana. disse...

Ah sim, então estou indo até ali também assistir meu filme preferido com um brigadeiro, HAHA.
adoooooorei :D
e eu que estava até angustiada, resolvi não ter medo de viver também, porque eu sei que eu tb sou feliz.