quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Cozinha.


imagem:http://gettyimages.com.br


Ela estava cortando cebolas e cantarolando algo inaudível, totalmente absorta e concentrada. Usava apenas calcinha – quase um shorts na verdade - e uma blusa velha dele, os cabelos estavam desgrenhados e presos de qualquer jeito, com uma mecha que cismava em cair no olho, e puxa, como ela ficava sexy desse jeito, pensou ele.
Na noite anterior ela estava linda, impecável. Vestida de preto, um vestido simples, mas que encaixava perfeitamente nela, como se fosse parte dela, um terceiro braço ou algo assim. Ele segurava nervosamente sua mão, enquanto ela ria e enchia o ambiente de descontração só por simplesmente ser ela. E ele só pensava ‘ seu idiota, está amando. Você ama ela. Por que não assume?’.
Mas agora nessa manhã de domingo ela estava ainda mais linda. E ele tinha ainda mais certeza.
Ela olhou pra ele por instantes, ela o amava. Sorriram um para o outro.
- O arroz está pronto, ela disse.
Ele chegou perto, tocou seu rosto. Se beijaram lentamente, com medo que tudo acabasse. Fizeram amor ali mesmo, na cozinha. Amor, não sexo dessa vez.
- Eu te amo.
Foi ela quem disse.
Ele apenas beijou sua boca.
Porque ele sabia que a amava, mas era tolo o bastante pra admitir.

Ele estava na cozinha picando cebolas. Não cantarolava. Vestia qualquer coisa. Estava sozinho.
Passou-se algum tempo desde aquela tarde de domingo.
Aquela tarde em que ela entregou seus sentimentos, ele apenas se calou.
Agora, deixara tudo escapar, não tinha como voltar atrás e berrar o quanto a amava, alguém já fazia isso em seu lugar.

O arroz queimou.

E ele resolveu deixar tudo como estava. Mais uma vez.

10 comentários:

Ada Lílian disse...

Cristinaa, primeiro obrigada pela visita no cara de cotoca, volte sempre.
Amei o seu blog e esse texto também, nem sei descrever o que eu achei. Muito lindo, você escreve muito bem!
Voltarei sempre, beeijos.

Luís disse...

Adorei seu texto. Deu pra imaginar bem a cena: a garota ficou muito Shakira em "La Tortura", sabe? hahaha. Foi o que me veio à cabeça.

Beijo.

Gabi Petrucci disse...

UAU.
Fiquei sem palavras!
Bem feito pra ele! RÃN!

:*

Roberta disse...

Gostei de conhecer seu trabalho. É um texto bastante bom. Parabéns. Agora te sigo também, ok?!

.Txia. disse...

Quase já passei por isso! O meu namorado me amava e eu tinha vergonha de dizer que o fazia tambem, ele ja estava até desistindo...
que bom que tomei coragem!

Lari. disse...

Lindo! E eu que, no começo, pensei que era só mais uma história com o final perfeitamente feliz do "e eles viveram felizes para sempre". hehe; mt bom!

isa andrade disse...

perfeito ! , lindo ! , sem palavras ! , amo seus textos , e esse não foi diferente , quer dizer , foi , porque cada um é perfeito do seu jeito , eu simplesmente amei ! parabéns , de novo :D
beijos :**

Bruno disse...

Eu já fui ele. Várias vezes.

Ana Catarina disse...

Não tenho palavras para descrever, o que achei do seu blog, essa postagem esta demais! Voce escreve muiiito bom!

To te seguindo, me segue?!

Beijos ;**

C. Lisdália disse...

Aaai, que lindo...

Conheço um cortador de cebolas cagão, coitado. Pior que acho que ainda o amo e ele, ah... Nem queor mais saber tb! =/

Adorei!