quarta-feira, 5 de setembro de 2012

I’m not a relationship person.

weheartit.com

E então num desses bate-papos da vida o cara me perguntou, assim como não quer nada, “Tá, e aí, tu nunca mais vai querer namorar”? Não eu respondi. Por que eu nunca mais quero namorar. Porque, na verdade eu nunca quis namorar - tirando talvez quando eu tinha meus 15 anos e uma visão cor-de-rosa sobre namoros. Os namoros sempre aconteceram na minha vida, assim do nada, foram chegando devagarzinho e de repente, olha lá! Lá estava eu em um ‘relacionamento sério com fulano’. 

 Calma lá, não to dizendo que sou dessas pessoas que querer ficar sozinhas a vida toda, que não sentem falta de uma vida a dois. Claro que não, sou humana afinal, e humanos são carentes. Gosto de dormir de conchinha também. Gosto de ter um par de meia perdido na gaveta de alguém ou então a minha própria caneca de café no canto da estante que só eu sei. Mas a verdade é que nunca fui dessas meninas que precisam de um namorado a todo momento, que precisam ser de alguém. Existem pessoas que são viciadas em namoros, que engatam um relacionamento seguido do outro, tudo isso por medo de ficarem sozinhas. E quem disse que a solidão não é boa? 

É que eu acho que quando a gente acaba rotulando as coisas, elas vão se perdendo. ‘Deixa acontecer naturalmente’ diz um pagode clichê aí, e eu que não sou nem um pouco fã de pagode, tenho que concordar. Apenas é bom deixar que as coisas sigam seu curso natural, sem querer forçar nada nem ninguém, sem querer sempre ter uma aliança no dedo e alguém para chamar de seu. Até porque ninguém é de ninguém, afinal. E na minha tese – que nada tem de comprovada cientificamente – eu acho que é por isso que tantas pessoas são infelizes nos seus relacionamentos. Porque tem medo de ficar sozinhas e se prendem ao primeiro que lhe desprende um pouco de atenção. Eu conheço várias pessoas assim, presas a relacionamentos falidos, mas simplesmente não conseguem terminar, são acomodadas naquela situação. 

Então, não eu não quero namorar. Nunca quis. O que não quer dizer que semana que vem eu não possa estar namorando, bem feliz, para que daqui há algum tempo eu esteja sozinha de novo, igualmente feliz. Porque isso que é bom, saber que cada coisa tem seu momento, e deixar as coisas seguirem de forma natural. Solidão, como diz o lindo do Camelo, também é doce. Doce Solidão. 

 "Posso estar só mas sou de todo mundo 
Por eu ser só um 
A nem, a não, a nem dá solidão 
Foge que eu te encontro que eu já tenho asa"
Doce Solidão - Marcelo Camelo

2 comentários:

mfc disse...

O que acontecer... acontece!
Não vale a pena fazer planos!

Beijos,

António Jesus Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.