terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Pisca-pisca.




A luzes brilham piscando e hipnotizando. Os brinquedos reluzem na vitrine, os pinheiros sustentam neves de mentirinha e tudo é mais vermelho do que nunca.
No meio de tantos Jingle Bells e Merry Xmas, da confusão pela busca do melhor presente, tem sua atenção tomada por um contraste, um contraste social. Aquele menino sujinho deixou o seu carrinho de sorvetes estacionado na sombra, e estava olhando, um olhar vago, para a vitrine da loja. Chegou perto dele, que estava absorto demais para notar a presença de mais alguém.
- O que você tanto olha? É esse cachorro de brinquedo que faz tudo sozinho?
O menino assustado, olhou-a com curiosidade e disse-lhe que não, já tinha um cachorro em casa, um cachorro de verdade, e amava-o tanto que não precisava ter um de brinquedo.
- Seria esse carrinho de controle remoto?
‘Não’, disse a ela. ‘Não, eu faço os meus próprios, e eu me divirto comandando eles sem ter que aperta nenhum botão. Não gosto de brinquedos que brinquem por mim.’
- Um vídeo-game, então?
‘Vídeo-game?’ Ele olhou a com uma cara engraçada. Ficar preso dentro de casa apertando botões não é comigo, eu prefiro correr na rua e fazer minhas própria aventuras.’
-Então, menino, diga-me o que tanto olha?
‘A Luz’, respondeu ele como se fosse muito óbvio.
- A luz? Perguntou ela sem acreditar muito.
‘A luz’. Eu queria que ela brilhasse todo dia desse jeito, não somente no natal, não somente na vitrine, mas no coração de todos nós.’
E assim, ela foi embora com sacos de presentes nas mãos, mais com algo muito mais valioso e que não apagaria após o natal: A luz que piscava dentro dela.

6 comentários:

Izadora Pimenta disse...

fiz também um post de natal no freckled guitar (http://freckledguitar.blogspot.com/2009/12/verdade-sobre-as-festas-comemorativas.html) e achei interessante porque você passou a mesma ideia que eu gostaria de ter passado. acho triste esse negócio do verdadeiro espírito de natal esquecido. esse ano, aliás, nem pedi nada de natal: só quero ganhar o que for de coração.

Bruna F. ;D disse...

Lindo esse texto *--* Com certeza a luz em mim não vai apagar também :)

' Jαdє Amσrιm disse...

Nossa, que lindo!
Realmente, as coisas mais simples geralmente são as melhores!


Beeijos!

Marcelo Mayer disse...

nata, natal, natal! meu presente de natal é que alguma tragedia aconteca, pra todos sairem das mesas e banquetes e começarem, a s e tocar. opa. essa tragedia acontece todo dia!

Pâmela Marques. disse...

Sem palavras. Fantástico.
Queria que todo dia fosse Natal também, rs.
Feliz Natal, doce.

Agatha disse...

A luz do espírito natalino deveria ser perpetua, durar o ano inteiro.
Beijos, e um maravilhoso natal (atrasado rs).