terça-feira, 3 de novembro de 2009

Túmulo.

imagem: Crisitna de Souza (acervo pessoal)

E estava agora tudo cinza-colorido. As flores que enchiam os olhos deixavam a paisagem triste ainda, mas uma tristeza de um certo modo bonita. O ar respira saudade. O ar respira dor. O ar é silencioso, porque o silencio é o que exprime as palavras que não conseguem sair.

Ela, calada, caminha com seu lírio branco na mão. Hesita um pouco, antes de deixá-lo lá, no meio de tantas flores. Uma lágrima cai, e se mistura com um sorriso quase apagado: é a mistura da dor de quem perdeu um ente querido, com a felicidade de um dia poder ter vivido com ele.

Reza baixinho, assim como reza todas as noites. Se despede, apenas com um olhar, e vai embora quieta como chegou, mas não sem sentir o perfume de sua flor (seria da flor ou da lembrança?) deixada como homenagem.


Pequena homenagem atrasada para o dia de finados. Que a gente não lembre de quem se foi apenas nesse dia.


Nota: Não consigo alterar a fonte, por isso essa bagunça ;/



7 comentários:

Marcelo Mayer disse...

meu penultimo texto tb fala um pouco disso.

mandou muito bem! tá belíssimo!!!

Dara Bandeira disse...

Crisp, flor .

ficou tão bonito o texto, sabe?
Percebo, assim como você, que existem palavras que só podem ser ditas no silêncio, no calar

...

é sempre surpreendente o que encontro por aqui, viu?

beijos e sorrisos

Gabi Petrucci disse...

Singelos, mas bonito!
Muito bonito!

Sαbrinα disse...

Perfeitas palavras, em quem seja que estava pensando no momento de suas palavras, chegou todo o seu sentimento (':

A filha única disse...

Se você não tivesse falado que era bagunça, nem teria notado. Achei legal, pensei que fosse seu desgin mesmo, rs.
Nossa, perder um ente querido deve ser realmente triste. Ainda bem que nunca perdi alguém muito próximo, mas tento me preparar pra quando acontecer. Mas não é fácil :/

Ágatha Alves disse...

NOssa chuchu ficou lindo memso a homenagem...
Eu lembrei de pessoas maravilhosas que se foram..
Beijos

naty c.m disse...

Ah, nem tenho muito o que falar...
Adorei o texto, mas nao sei muito bem como é essa dor pois nunca perdi alguém muito próximo :x