quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Ritmado




Eu estava desarmada, me pegou de surpresa. Eu estava distraída, desligada, não, não pensava em você, talvez não pensasse em nada. Foi então que eu ouvi a canção, como diz a Ana, que tocou na hora errada. Na hora errada, na hora absurda. Não devia ser permitido musicas assim tocarem sem aviso prévio.Eu poderia ter me preparado, eu não teria do nada parado, eu não teria levado um susto. Eu queria me livrar a todo custo, eu que já me desfazia do meu luto, que lutava com segurança, que enterrei todas as lembranças, tinha esquecido da canção. Notas musicais, pensamentos banais, assim quem agüenta? Eu é que não quero sofrer mais. A musica acabou, e não foi comigo, e sim com você. Mesmo me pegando de surpresa, a canção te levou. Cantarolei algumas notas, arrisquei até o refrão, te risquei da minha mente, até, quem sabe, uma outra canção.

5 comentários:

Iaiá disse...

"O amor talvez seja uma música que eu gostei e gravei numa fita..." ♥

Hélder, o míope disse...

bão demais!

seu jeito de escrever é incrível.
é um texto-conto-poema...

hehehehe

que muitas canções ainda passem pelos ouvidos, mas não fiquem só nele, passem pro coração também.


-
ps: orkut tenho!, tá lá no meu blog, no finzin da página.

bejo

Flávia disse...

Olá Cris.....

Adorei seu blog.


E viva a musica!!!!

bjs

Amanda Bia disse...

tem certas músicas que não dá vontade de ouvir nunca mais né?!
beijos!

Gracy disse...

nossa...amei seu canto guria.
e esse texto, incrível