quarta-feira, 15 de julho de 2009

Sentido.


Eu brincava que você era meu.
Quando eu te via, tudo mais era preto-branco, eu só enxergava seu cheiro, só sentia tuas cores, só ouvia teu calor, só me aquecia com a tua voz.
Tudo bagunçava meus sentidos, minha razão, minha lógica.
E eu, sempre tão forte, tão ao acaso, só via os outros como mera distração, diversão até. Mas com você por perto eu viro do avesso.
Você senta do meu lado, eu estremeço por dentro. Você percebe, se atreve, chega mais perto, eu quase quase posso sentir que você é meu, mas penso o quão isso é irreal.
Eu sou tão comum.
Você, tão surreal.
Mas o mundo é tão ilógico.
E então, no meio dos meus secretos devaneios o seu lábio encontra o meu.
Sonhei?
Não.
Em silencio nos damos a mão. Você me sorriu.
Eu sorri de volta: não precisava ter brincado, você já era meu.

11 comentários:

Dressa Ferreira disse...

Que lindo post!
Adorei ^^
Beijos

Philip Rangel disse...

gets a lone

' káh. milloti ' disse...

Que lindo seu texto.
Beijoos

Aline disse...

Que lindo o amor! Adoro! =)

Rafael disse...

Gostei, bem delicado o texto...
bjs

jadeamorim.com disse...

Cara, eu to num momento tão igual a esse, digo, pelas sensações, pelo sentimento!
Só que ele ainda nem é meu! =/


Beeijos! =*

Hélder disse...

Pessoas bem interessantes são assim mesmo como você descreveu.
Quando estão por perto, tudo fica mais simples...

Muito bom o texto, já é de praxe.
hahaha

Bejo!

darsh. disse...

"Eu sou tão comum".
Com certeza eu poderia ter escrito isso..

disse...

"Não precisava ter brincado, você já era meu" PERFEITO! :*

Sam disse...

às vezes, coisas nossas tem de ser conquistadas por nós. Prova da ilogicidade do mundo.

Beijos

' káh. milloti ' disse...

Querida, está sumida. O que foi?